A ROSA E O VENTO

Novembro de 2016 .........................................................................................................

por Marco Aurélio (1)

A morte é como a rosa ao vento,
Desfeita como um grande mal.
Mas morte é tão somente evento
De transferência sazonal.

A vida é qual o Sol, alento,
Em trânsito, em seu fanal.
A vida é luz, em seu intento,
Soprando no jardim, floral.

A vida em forma, é instrumento,
Que pulsa além, em festival.
Transforma e renova, aumento

Do belo, em seu manancial.
A forma é experimento,
O pólen, vida imortal.

 

 

 


(1) Página psicografada, em Reunião de Desobsessão no ICE, em 29/10/2016